O DOUTRINADOR NUMA REUNIÃO MEDIÚNICA

O DOUTRINADOR NUMA REUNIÃO MEDIÚNICA

         O doutrinador numa reunião mediúnica é aquele que vai conversar com os espíritos. Mas essa conversa não tem nenhum objetivo frívolo, não se pretende buscar favores ou desvendar segredos, mas, como o próprio nome já diz levar a doutrina moral do Cristo aos corações endurecidos, confusos e enfermos.

         Enquanto o médium incorpora, ou melhor falando, exercita a psicofônia que é o termo correto no Espiritismo, permitindo que esses irmãos espirituais necessitados se liguem mentalmente (note-se que o espirito não penetra no corpo do Médium, existe apenas uma ligação psíquica de mente para mente) e exteriorizem seus problemas, o doutrinador deve inicialmente saudar o espírito enfermo com a paz de Jesus, pois todo o trabalho é feito em nome do divino amigo, o Senhor de todos nós.

         Saber ouvir é uma virtude do doutrinador, para poder compreender as necessidades do irmão é preciso se inteirar dos seus problemas. Mas atenção existem espíritos sagazes que podem querer esticar as lamentações a fim de ganharem tempo atrapalharem o trabalho. Assim, é imprescindível se estabeleça um horário de inicio e de término da reunião mediúnica, e que se siga rigorosamente, até porque os espíritos amigos tambem têm outros afazeres na espiritualidade.

        Inteirado dos problemas que afligem a entidade enferma ou rebelde segue-se a conversa edificante, evangelizadora desestimulando os desequilíbrios e as revoltas, é um trabalho de convencimento levando a entidade a modificar-se intimamente.

         O dirigente da reunião tem que estar atento ao horário e em auxiliar aos médiuns e doutrinadores quando necessário.

        Cada instituição espírita estabelece seus próprios horários para as sessões mediúnicas e tambem fica a critério o tempo de cada conversa com as entidades. Bem como a quantidade de médiuns e doutrinadores em cada mesa ou reunidos numa única mesa. O ambiente em uma reunião mediúnica espirita é desprovido de objetos materiais como imagens, símbolos, velas, incenso… Tudo com simplicidade e bom senso doutrinário. O pensamento elevado e a fé em Jesus são importantíssimos.

         É necessário ao doutrinador e a todos os envolvidos em um trabalho mediúnico estudar sempre o evangelho, para poderem falar corretamente e com desenvoltura acerca dos seus ensinamentos morais e principalmente tentar vivencia-lo na medida do possível no seu dia a dia.

         Existem diferentes tipos de espíritos que são levados para serem evangelizados, entre esses tipos estão:

         Os Espíritos malfazejos que são levados para uma sessão mediúnica de desobsessão muitas vezes acompanham as pessoas que estão em tratamento espiritual, quando não são desafetos de outras existências realizando uma vingança pessoal, podem ser desafetos do presente que ao desencarnarem conservam os mesmos sentimentos de ódio, aproveitando-se de seu estado de desencarnado para uma desforra. Existem aqueles que trabalham para sacerdotes de rituais de feitiçarias encomendadas, não têm nada de pessoal para com a pessoa perseguida apenas receberam pagamento ou cumprem ordens de espíritos mais fortes.

         Os Espíritos enfermos são entidades que ainda refletem no seu psiquismo doenças que as atormentavam quando encarnados. Logicamente que esses espíritos não são mais portadores dessas enfermidades, tudo esta na mente, e muitas vezes é preciso muito tato para leva-los a conscientização e reconhecimento de que estão saudáveis. Todavia, muitos ainda nem se aperceberam que estão desencarnados, não é bom uma revelação abrupta mas, que eles próprios cheguem a esta dedução. Em casos de dúvidas pode-se utilizar o recurso do médico, isto é, na conversa  mostrar-lhes que estão em um hospital e que um medico ira tirar-lhe todas as duvidas e a espiritualidade plasmará um ambiente hospitalar e um medico espiritual conduzirá o “enfermo”.

           Estas são apenas algumas dicas para os que estão iniciando como doutrinadores ou pretendem iniciar um trabalho mediúnico em suas instituições espíritas. É um trabalho de caridade e amor ao próximo que exige dedicação e estudo. Se for possível, o auxilio de um Centro com experiência reconhecida poupará muito tempo e trará mais confiança doutrinária.

           Existem diversos livros que trazem esclarecimentos interessantes sobre o assunto, indicamos em especial o livro “Dialogo com as sombras” do pesquisador espírita Hermínio C. Miranda, o autor faz uma análise por experiência própria das diversas categorias de entidades que são atendidas em trabalhos mediúnicos de desobsessão. Outro livro interessante é “Desobsessão” do espírito André Luiz, de Chico Xavier e Valdo Vieira, Procurem adquiri-los e bons estudos.

Jefferson Moura de Lemos

Esse post foi publicado em Mediunidade e Doutrinação II e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s