O ESPIRITO COMANDA O CORPO

O ESPIRITO COMANDA O CORPO

 

 

         Normalmente é ensinado que nós possuímos uma alma. Então, todos sabemos que temos uma alma, mas, não sabemos como ela é, como se expressa e onde está localizada.

         Quando falamos: eu tenho uma alma – erradamente – parece que o corpo é que é o nosso EU e que a alma é algo que carregamos, como aquela bolsinha a tiracolo que levássemos, para onde quer que fôssemos. 

         Quando invertemos a figura e dizemos – acertadamente – eu tenho um corpo, estamos afirmando claramente que a alma é o nosso EU, é o ser que pensa, que age, e o corpo é o instrumento da sua manifestação.

         O corpo é o templo da alma.

         É o aparelho maravilhoso que o Criador concedeu para manifestação do Espírito no mundo material, para sua evolução e aperfeiçoamento.

         Pensamos: vou escrever uma carta. O nosso Espírito é que está desejando, então, movimentamos o nosso corpo e escrevemos uma carta.

         Por isso não concordamos quando alguém diz que o corpo é fraco, ou melhor, que a carne é fraca, para assim justificar seus atos errados.

         (…) É claro que podemos nos viciar ou intoxicar nosso organismo com excessos e paixões desenfreadas. Porém, sempre e sempre será o dono da casa, o Espírito, que vai ter a vontade, o desejo, o vicio e vai permitir que entre no seu corpo os materiais intoxicastes ou estimulantes. Bem como pela forma de pensar, falar ou agir irá atrair para si paz e alegria ou desespero e tristeza. 

         Um exemplo bastante simples e que prova a realidade do que estamos afirmando é que, quando o espírito deixa o corpo, pela desencarnação, este não mais se locomove, não tem mais vontade.

         E um caso mais interessante é que nunca se viu uma pessoa que gostava de tomar suas pinguinhas ou de fumar um cigarrinho, depois que “morreu” levantar o seu corpo e ir ao barzinho tomar um aperitivo e nem filar um cigarrinho de alguém no velório.

         O corpo do “morto” não se levanta porque não era a matéria que gostava ou tinha vontade, mas, sim, o espírito que ali habitava.

         Nós somos Espíritos, correto? E continuamos a pensar, a ter vontade e a amar na vida espiritual.

         No plano espiritual não existem fumantes ou alcoólatras, a não ser nas regiões purgatórias, onde existem Espíritos que ainda não conseguiram se libertar dessas dependências.

         Para não sofrermos mais, vamos abandonar nossos vícios aqui, começando agora. E vamos cultivar as virtudes que nos proporcionarão acesso aos mundos espirituais felizes, quando deixarmos a vestimenta carnal. 

  

             

 

Rodrigues de Camargo

 

 

Extraído do livro “Novos tempos”

Esse post foi publicado em Orientação Espírita II e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s