A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

 

          “Quando, pois, vais com o teu adversário ao magistrado, procura livrar-te dele no caminho; para que não suceda que te conduza ao juiz, e o juiz te entregue ao meirinho, e o meirinho te encerre na prisão. Digo-te que não sairás dali enquanto não pagares o derradeiro ceitil.”

         “E naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. 

         E respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?

         Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

         E aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?

         Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis.”

 

Lucas 12:58,59; 13:1-5

 

 

 

 

 

         Conversando com os alguns judeus, Jesus havia finalizado uma exposição acerca dos sinais dos tempos e da Lei de Ação e Reação, utilizando, como sempre fazia uma linguagem simples e ilustrativa, quando determinadas pessoas do grupo ou outras que chegaram naquele momento, discorreram sobre um massacre ocorrido a pouco tempo.  

         Alguns rebeldes galileus foram mortos por ordem de Pilatos e o sangue deles foi misturado aos sacrifícios que ofereciam. Possivelmente confabulando entre si falavam de forma arrogante, que aqueles homens mereceram o que lhes aconteceu por serem ignorantes e pecadores. Certamente tinham débitos a resgatar com a justiça divina.  

         Os galileus, mesmo sendo judeus não eram vistos com simpatia pelos seus irmãos de outras regiões. Tinham fama de insurgentes e eram uma preocupação para Roma.

         Assim, acreditavam que o mestre iria dar credito aos seus comentários, pois Ele próprio acabara de explicar que as dividas contraídas teriam que ser pagas até o ultimo ceitil.

         Todavia, Jesus lhes conhecendo a arrogância e o preconceito, deixou uma lição de humildade, esclarecendo que aqueles galileus mortos não tinham mais pecados que os outros galileus, quer dizer, todos sendo pecadores terão que arcar cada um com suas dívidas. Do mesmo modo, eles (que se consideravam mais puros), se não arrependerem-se dos seus pecados igualmente perecerão, isto é, tambem resgatarão os seus débitos com a justiça divina.

         E para ilustrar melhor o ensino, a fim de debelar o orgulho dos que se consideravam melhores que os outros, acrescentou ainda um acidente sucedido com a torre de Siloé, uma antiga torre no sul de Jerusalém, esclarecendo que os dezoito homens que morreram quando a torre de Siloé caiu sobre eles, tambem não eram mais culpados que os outros habitantes de Jerusalém, mais se todos, cada um com suas culpabilidades a resgatar, não se arrependerem igualmente perecerão.

 

         Geralmente quando acontece algo de mal com alguém que não gostamos ou temos preconceito por não se adequar aos nossos valores. Acreditamos que a justiça divina recaiu sobre ele. Não nos consideramos tambem pessoas carregadas de erros, somente vislumbramos em nós as virtudes que muitas vezes carecemos. Nesta lição Jesus mostra que todos nós temos nossos débitos e que se não modificarmos o nosso comportamento e o nosso jeito de proceder para com o próximo, poderemos vir a ter tantas dificuldades quanto aqueles que julgávamos mais pecadores que nós.

 

Jefferson Moura de Lemos

Esse post foi publicado em Lei de Ação e Reação e marcado , , . Guardar link permanente.

4 respostas para A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

  1. deniberto correa monterrosa disse:

    Sim todas as pesoas tivisem aseso a essa pasagem talvez acabaria o preconceito.

  2. alcides disse:

    Estamos sempre nos desculpando por nossos pecados, mais eles são feito tijolos, se acumulam e podem virar uma torre. Não basta nos desculpar temos que nos arrependemos.

  3. DANIEL BELARMINO VIEIRA disse:

    A lição da Torre de Siloé mostra-nos que DEUS quer de nós o ARREPENDIMENTO – palavra-chave dessa lição. Logo, não existe CARMAS. Jesus ACENTUOU que, SE NÃO VOS ARREPENDERDES TODOS DE IGUAL MODO PERECEREIS. Que “igual modo” é esse?? Não é o ”igual modo” da morte física, e sim, o ”igual modo” da morte espiritual. O texto é literal, o fato é foto, então, NÃO EXISTE A REENCARNAÇÃO, pois, NINGUÉM, mas NINGUÉM MESMO, pode vir ao mundo pagar ERROS cometidos em OUTRO corpo. NÃO HÁ OUTRA IDENTIDADE para o MESMO SER HUMANO DOTADO DE MESMA HUMANIDADE. seria um contrasenso, uma controvérsia, um lôgro, um plágio. Portanto, o que JESUS – O DEUS HUMANIZADO, O SENHOR ACIMA DE SEU MESTRADO, ensina no texto, é que, o ARREPENDIMENTO é a VOLTA que devemos dar para DEUS nos PERDOAR TODAS AS NOSSAS DÍVIDAS, E isto, só se faz PELO SANGUE QUE JESUS DERRAMOU POR NÓS INJUSTAMENTE, da mesma maneira que O SANGUE DAQUELES PECADORES GALILEUS foram envolvidos nos sacrifícios sanguíneos de PILATOS, que, pensava, que estava oferecendo a DEUS um sacrifício JUSTO.
    Caros amigos! SE EXISTISSE A TAL REENCARNAÇÃO como dizem os espíritas e o espiritismo de KARDEK seria uma FATALIDADE a MORTE DE JESUS e a SUA RESSURREIÇÃO. Jesus foi morto INJUSTAMENTE, e essa morte de JESUS nos trouxe o PAGAMENTO DAS NOSSAS DÍVIDAS PESADAS. QUANDO Jesus ressucitou dentre os mortos, A INJUSTIÇA cometida na SUA MORTE FOI REVERTIDA E ANULADA PARA A NOSSA JUSTIFICAÇÃO DIANTE DO TRIBUNAL DIVINO , PORQUE DEUS É JUSTO E JUSTOS SÃO OS SEUS JUÍZOS.
    DIZER haver REENCARNAÇÃO é SUBTRAIR a JUSTIÇA DIVINA, é PLAGIAR o JUSTO JUÍZO, é MITIFICAR A ORDEM DIVINA. Portanto, NÃO EXISTE A REENCARNAÇÃO KARDECISTA, NEM OUTRA QUALQUER REENCARNAÇÃO BUDISTA ou como queiram afirmar. É louca essa hipótese sem TESE. a BÍBLIA CONDENA ESSA PECAMINOSA E ARDILOSA IDEIA ERRANTE E SEM SENTIDO- A SABER, A REENCARNAÇÃO.
    A Torre de Siloé representa na simbologia cristã a SOBERBA HUMANA que, quando caída, destrói VÍTIMAS Pensando serem MAIS JUSTAS quando no mesmo patamar JUDICIAL são NECESSITADAS DE ARREPENDIMENTO. e, sem, ARREPENDIMENTO, não há SALVAÇÃO. E SALVAÇÃO SÓ PELO SANGUE QUE DE JESUS FOI DERRAMADO INJUSTAMENTE. ´Pedro, apóstolo de JESUS CRISTO afirmou: em NENHUM OUTRO HÁ SALVAÇÃO, Nem em cima no céu, nem embaixo na terra, há outro nome dado entre os homens pelo qual devamos ser SALVOS. ( ATOS DOS APÓSTOLOS 4.12)
    NÃO EXISTE A REENCARNAÇÃO. ARREPENDEI-VOS E CONVERTEI-VOS.

    • jeflemos disse:

      Olá Daniel, agradeço a sua contribuição ao nosso blog. Bem vamos lá, a sua afirmação de que Deus quer de nós arrependimento é perfeitamente correta, e totalmente concorde com o Espiritismo. Entretanto, na frese “Logo, não existe CARMAS” o irmão coloca o arrependimento e o Carma como ideias contrárias entre si, o que não é verdade. Tudo depende do modo como se vê o arrependimento, se do ponto de vista Espírita ou segundo a perspectiva Protestante.
      Para o protestantismo e doutrinas assemelhadas, o arrependimento + a conversão a sua religião (e não só o arrependimento) é que apaga todas as faltas cometidas pelo indivíduo, como por exemplo, um criminoso que ceifou a vida de dezenas de pessoas estaria quitado com Deus e sua justiça somente pelo ato de arrepender-se e converter-se. Sua alma estaria límpida, filha legítima de Deus e pronta para a salvação eterna. Enquanto as suas vítimas, se morreram sem serem convertidas (mesmo tendo sido pessoas honestas) estariam condenadas eternamente, pois não participavam do corpo de Cristo, eram criaturas e não filhos de Deus.
      Para o Espiritismo o arrependimento sincero (não importando a preferência religiosa) coloca o indivíduo sob a proteção divina, lhe garantindo a entrada nos planos espirituais compatíveis com a sua nova diretriz de pensamento, em sintonia com as forças do amor e do bem, o que seria uma forma de salvação. Todavia, isso não retira do arrependido a necessidade de reparação dos atos criminosos que tenha praticado e a própria consciência do individuo, agora esclarecida pelos conhecimentos morais, o leva a buscar reparar os seus erros, muitas vezes até em novas encarnações numa mesma família. É quando surgem os desafetos familiares sem explicações lógicas e os traumas que as regreções de memória não encontram a causa nessa mesma existência, somente podendo ser compreendidas à luz da Lei de ação e reação e da reencarnação. [1]
      Jesus sempre se utilizava de acontecimentos cotidianos como exemplo para explanar sobre questões espirituais. Por isso, Jesus explicou numa passagem anterior à sua exposição sobre a queda da Torre de Siloé, que o culpado não sairia da prisão (da consciência, em sentido moral) até que pagasse o último ceitil. Esse resgate para com a justiça divina pode ser feito pelo amor (boas obras) ou pela dor. [2]
      Portanto, querido amigo, dizer que existe reencarnação é afirmar que Deus é justo, misericordioso e infinitamente amoroso, pois não faz acepção de pessoas e cada um recebe exatamente segundo o seu proceder. A reencarnação permite que os envolvidos pelos erros se aproximem para aprenderem juntos o significado do amor, pois é do desejo do Senhor que todos, absolutamente todos os seus filhos se amem uns aos outros e cheguem a perfeição.
      Quanto à morte de Jesus, seu sacrifício e a doutrina da reencarnação, existem diversos artigos no nosso blog que comentam sobre esse assunto.
      Um grande e forte abraço!

      [1] ver os nossos artigos: A parábola do mordomo infiel e a imortalidade da alma e o bom ladrão e a reencarnação.

      [2] Ver nosso artigo: A FÉ E AS OBRAS SEGUNDO O ESPIRITISMO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s