O CENTRO ESPÍRITA E OS DIRIGENTES DESATENTOS

 

O CENTRO ESPÍRITA E OS DIRIGENTES DESATENTOS

          Diante da avalanche de pseudo-modernidade que está invadindo as casas Espíritas e das influências de antigos hábitos cristalizados, oriundos de outras concepções religiosas muitas vezes introduzidas por dirigentes e colaboradores desatentos, como fica o Centro Espírita? Terá ele estrutura para superar esta fase?

         Divaldo- É necessário sermos sempre coerentes. Chegam à nossa Casa Espírita, periodicamente, pessoas que dizem:

– olha Divaldo, você não acha?

Eu respondo:

– Não, não acho – antes que acabam, porque eu já sei que são barbaridades o que irão enunciar.

E concluo:

– A nossa casa segue a diretriz estabelecida pelo Codificador.

– Mas você não acha que poderíamos colocar aqui uns quadros?

Tornam a dizer.

– Não. Não colocaremos quadro nenhum, – argumento eu – a sala doutrinária é nua. Não tem nada de mais. Só as cadeiras, as mesas. Não precisam de mais nada.

– Você sabe, – insistem – eu vi num lugar uma coisa tão bonita…

– Então freqüentem lá – concluo – Aqui, nós não deixamos, não abrimos mão da nossa coerência doutrinária.

         Não digo com rispidez, nem com indelicadeza, porém com segurança tranquila. Nada de trajes especiais, cores que induzam à superstição. Tudo simples e doutrinário.

         A casa Espírita deve ter muito cuidado com os enxertos, porque há Núcleos Espíritas, onde eu tenho estado que me pergunto se os são verdadeiramente. Têm tantas exigências, tanto formalismo, tanto ritualismo, tanta coisa que às vezes, eu me Questiono – Onde está, aqui, a mensagem Espírita da libertação?

         O Espiritismo nos liberta da  ignorância e dos atavismos negativos. É uma doutrina libertadora. O nosso compromisso é com a verdade. Não é com as aparências, os cultos, as formulas!

         É necessário termos muito cuidado com a introdução das velhas práticas, sejam elas: ex-católicas, ex-protestantes, ex-esoteristas, ex-teosofistas. Todas essas Doutrinas são respeitáveis, mas a Casa Espírita tem sua filosofia e seu modo operante. Então devemos ser coerentes, defendendo-a dos enxertos, para preservarmos o movimento Espírita. A Doutrina Espírita é inatacável, necessitando de ser desdobrada para o nosso conhecimento. Os seus alicerces são inamovíveis. Essas ocorrências dão-se no movimento, que é algo diferente. São os adeptos do Espiritismo conduzindo a barca, às vezes, a seu modo, e não ao modo do Espiritismo.

 

 

Divaldo P. Franco

Do livro “Dialogo” 

Anúncios
Esse post foi publicado em Práticas exteriores e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s