A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

 

          “Quando, pois, vais com o teu adversário ao magistrado, procura livrar-te dele no caminho; para que não suceda que te conduza ao juiz, e o juiz te entregue ao meirinho, e o meirinho te encerre na prisão. Digo-te que não sairás dali enquanto não pagares o derradeiro ceitil.”

         “E naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. 

         E respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?

         Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

         E aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?

         Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis.”

 

Lucas 12:58,59; 13:1-5

 

 

 

 

 

         Conversando com os alguns judeus, Jesus havia finalizado uma exposição acerca dos sinais dos tempos e da Lei de Ação e Reação, utilizando, como sempre fazia uma linguagem simples e ilustrativa, quando determinadas pessoas do grupo ou outras que chegaram naquele momento, discorreram sobre um massacre ocorrido a pouco tempo.  

         Alguns rebeldes galileus foram mortos por ordem de Pilatos e o sangue deles foi misturado aos sacrifícios que ofereciam. Possivelmente confabulando entre si falavam de forma arrogante, que aqueles homens mereceram o que lhes aconteceu por serem ignorantes e pecadores. Certamente tinham débitos a resgatar com a justiça divina.  

         Os galileus, mesmo sendo judeus não eram vistos com simpatia pelos seus irmãos de outras regiões. Tinham fama de insurgentes e eram uma preocupação para Roma.

         Assim, acreditavam que o mestre iria dar credito aos seus comentários, pois Ele próprio acabara de explicar que as dividas contraídas teriam que ser pagas até o ultimo ceitil.

         Todavia, Jesus lhes conhecendo a arrogância e o preconceito, deixou uma lição de humildade, esclarecendo que aqueles galileus mortos não tinham mais pecados que os outros galileus, quer dizer, todos sendo pecadores terão que arcar cada um com suas dívidas. Do mesmo modo, eles (que se consideravam mais puros), se não arrependerem-se dos seus pecados igualmente perecerão, isto é, tambem resgatarão os seus débitos com a justiça divina.

         E para ilustrar melhor o ensino, a fim de debelar o orgulho dos que se consideravam melhores que os outros, acrescentou ainda um acidente sucedido com a torre de Siloé, uma antiga torre no sul de Jerusalém, esclarecendo que os dezoito homens que morreram quando a torre de Siloé caiu sobre eles, tambem não eram mais culpados que os outros habitantes de Jerusalém, mais se todos, cada um com suas culpabilidades a resgatar, não se arrependerem igualmente perecerão.

 

         Geralmente quando acontece algo de mal com alguém que não gostamos ou temos preconceito por não se adequar aos nossos valores. Acreditamos que a justiça divina recaiu sobre ele. Não nos consideramos tambem pessoas carregadas de erros, somente vislumbramos em nós as virtudes que muitas vezes carecemos. Nesta lição Jesus mostra que todos nós temos nossos débitos e que se não modificarmos o nosso comportamento e o nosso jeito de proceder para com o próximo, poderemos vir a ter tantas dificuldades quanto aqueles que julgávamos mais pecadores que nós.

 

Jefferson Moura de Lemos

About these ads

2 comentários em “A QUEDA DA TORRE DE SILOÉ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s